Farmácia Maxifarma

7 roupas que fazem mal à saúde

Você sabia que existem ameaças ao seu bem-estar dentro do seu armário? Saiba quais são as roupas que fazem mal à saúde e evite seu uso.

06 de fevereiro de 2018 - Maxifarma

Quando montamos um look, queremos ficar apresentáveis para o ambiente profissional, um momento de lazer ou uma ocasião especial. Porém, além de pensar na beleza na hora de escolher as peças, também devemos ter em mente que existem roupas que fazem mal à saúde.

Os prejuízos são vários e vão desde irritações na pele até mesmo a problemas ortopédicos e desmaios. Saiba quais são essas peças e fique de olho:

1. Cintas modeladoras

As cintas modeladoras viraram febre entre muitas famosas nos últimos tempos, que não dispensam esse acessório ao sair de casa. Contudo, o uso dessa peça pode acabar trazendo alguns prejuízos.

As cintas modeladoras disfarçam as gordurinhas e ajudam a manter uma postura mais adequada, aliviando dores na lombar. Porém, esses efeitos dependem de uma propriedade de compressão. Quando está acima do limite, essa compressão pode machucar a pele, prejudicar a circulação, apertar os nervos e provocar dormência e dores.

Treinar usando uma cinta modeladora pode comprimir demais o diafragma e atrapalhar a circulação sanguínea para os membros e o cérebro, de forma que a pessoa pode acabar desmaiando no meio da academia.

Caso você queira usar essa peça em uma ocasião especial, evitando que determinada roupa marque muito, dê preferência a cintas feitas de microfibra e elastano, que não comprimem o corpo tanto assim.

2. Calça jeans muito justa

Você já ouviu falar que a calça jeans causa celulite? Por si só, essa peça não causa problemas; porém, se for muito apertada, ela realmente pode entrar na lista das roupas que fazem mal à saúde. Isso acontece quando a calça está tão justa que comprime os vasos sanguíneos e atrapalha a circulação e a eliminação dos líquidos.

Em consequência, com um menor aporte de oxigênio para a pele e um maior acúmulo de líquidos que causam inchaço, a calça jeans apertada pode favorecer o surgimento ou a piora de quadros de celulite.

Outro problema dessa peça quando está muito justa é impedir a circulação de ar na região íntima, elevando a temperatura e a umidade no local. O resultado disso é um aumento no risco de infecções por fungos e bactérias.

3. Calcinhas de material sintético e fio-dental

Assim como uma calça jeans muito apertada, as calcinhas de material sintético também deixam a região íntima mais abafada, impedindo a “respiração” da pele e das mucosas e favorecendo a proliferação de microrganismos prejudiciais, dermatoses e alergias.

Além disso, é preciso ter cuidado também com as calcinhas de renda, pois esse tecido prejudica a da barreira de proteção natural da pele, favorecendo irritações. As calcinhas no modelo fio-dental, por sua vez, aumentam a fricção cutânea, podendo causar assaduras.

Dessa forma, no dia a dia é melhor dar preferência a peças íntimas de algodão. Essas peças permitem a circulação do ar e absorvem melhor o suor e as secreções sebáceas da região genital, evitando o abafamento.

4. Roupa de banho molhada

Sabe quando vamos à praia ou à piscina e passamos o dia todo alternando entre os mergulhos, o sol, as bebidinhas e os petiscos? Um dia de folga pode ser excelente, mas é preciso ter cuidado com o contato prolongado das roupas de banho molhadas com o nosso corpo.

Mesmo no alto verão, biquínis e sungas acabam ficando molhados, deixando a região genital exposta ao calor e a umidade. Esses dois fatores favorecem a candidíase, uma doença causada por um fungo que existe naturalmente na pele, mas que se torna oportunista quando se depara com essas condições.

5. Gravatas e camisas com colarinho apertado

Da mesma forma que a calça jeans, as gravatas por si só não causam problemas. Porém, se estiverem muito apertadas, elas também vão figurar entre as roupas que fazem mal à saúde, pois podem prejudicar a circulação sanguínea.

O resultado disso é uma diminuição no aporte de oxigênio para o cérebro, o que pode causar dores de cabeça, tonturas, confusão mental e até mesmo desmaios. Além disso, gravatas muito justas podem limitar os movimentos do pescoço, causando tensão muscular nos ombros e nas costas.

Vale lembrar que, mesmo sem uma gravada, camisas com colarinho muito apertado podem produzir esses mesmos efeitos.

6. Sutiãs desajustados

Os sutiãs muitas vezes são utilizados para valorizar a silhueta e elevar a autoestima da mulher, e isso não é errado de forma alguma. Apesar disso, também devemos considerar que uma de suas funções é sustentar o busto e aliviar o peso que as costas teriam que suportar.

Quando não estão bem ajustadas ao corpo da mulher, essas peças não apenas deixam de cumprir seu papel, mas também podem machucar. Sutiãs apertados, por exemplo, marcam as gordurinhas, atrapalham a circulação e irritam a pele, principalmente no contato das alças com os ombros.

Já os sutiãs muito largos não oferecem o suporte necessário aos seios, podendo favorecer o surgimento da flacidez nessa região e as dores nas costas, principalmente para mulheres que têm mamas mais volumosas.

7. Sapatos de salto alto ou bico fino

Os sapatos não são exatamente peças de vestuário, mas é impossível deixá-los de fora desta lista e não incluir um alerta sobre os modelos com salto alto ou bico fino, pois os problemas são inúmeros.

O movimento de caminhar envolve a divisão do peso do corpo entre o calcanhar e a parte da frente do pé. Porém, quando se usa salto alto, o peso fica concentrado nos dedos, causando dores, bolhas e calos – que pioram quando o bico do sapato é muito fino, comprimindo ainda mais a região.

Além disso, sapatos de salto alto também prejudicam a flexão natural da planta do pé, o que atrapalha a circulação e favorece o surgimento de varizes. Outros problemas originados pelo uso contínuo dessa peça são tendinites, unha encravada, sobrecarga e dores no joelho, na parte de cima do pé e na coluna, lordose e outras lesões ortopédicas.

Isso tudo pode ser assustador, mas você não precisa se desfazer de todos os seus sapatos de salto alto nem das outras roupas que fazem mal à saúde. Para evitar problemas, basta reservá-los para ocasiões especiais e dar preferência a peças mais confortáveis no dia a dia, como calçados com salto médio e bico mais alargado.

Fonte(s): Dicas de Mulher e Incrível Club