Farmácia Maxifarma

Qual a origem da Festa Junina?

Tradição teve início na Europa ainda antes do Cristianismo e tinha como propósito celebrar a chegada do verão no Hemisfério Norte.

05 de junho de 2019 - Maxifarma

As Festas Juninas estão entre as celebrações mais importantes do Brasil. A fogueira, as danças de quadrilha, as simpatias e as comidas típicas podem ser vistas em praticamente todas as cidades do país, com força ainda maior nos estados do Norte e do Nordeste.

Porém, você já perguntou qual é a origem dessa festa? Para a Igreja Católica, o mês é marcado por homenagens a vários santos, como Santo Antônio (13/06), São João Batista (24/06) e São Pedro (29/06). No entanto, a origem das celebrações neste mês é muito anterior ao próprio Cristianismo.

Celebração pela chegada do verão

Nos países do Hemisfério Norte, o mês de junho marca o início do verão, o chamado midsommar. Por essa razão, diversas celebrações pagãs eram realizadas em homenagem ao solstício de verão – o dia mais longo e a noite mais curta do ano. Em geral, isso ocorre no dia 21 ou 22 de junho.

festa junina

Essas celebrações ocorriam predominantemente onde hoje se situam países como Dinamarca, Estônia, Finlândia, Letônia, Lituânia, Noruega e Suécia. Porém, desde a Antiguidade já havia relatos de celtas e egípcios celebrando nessa época do ano rituais que pediam fartura nas colheitas.

As tradições se seguiram com modificações em outras regiões. Os cultos à fertilidade, por exemplo, também eram celebrados no mês de junho. A Igreja Católica tentou combater essas celebrações e não conseguiu. Assim, a forma encontrada foi a “Cristianização” das datas por volta do século X, associando as festividades com homenagens aos três principais santos do mês. As festas passaram e se chamar de “joaninas”, em homenagem a São João.

A chegada das festas juninas no Brasil

Os rituais juninos foram trazidos ao Brasil pelos portugueses no século XVI. No entanto, há relatos de que os indígenas também tinham os seus próprios rituais nessa época do ano. Por aqui, as festividades marcavam a chegada do inverno, com celebrações ligadas à agricultura, além de cantos, danças e comidas especiais.

festas juninas

O melhor das duas celebrações acabou se fundindo e transformando as Festas Juninas daqui em uma mistura cultural. É por essa razão, por exemplo, que ao mesmo tempo que as festas celebram santos católicos elas têm como comidas típicas alimentos que eram comuns aos nativos, como o milho verde.

As Festa Juninas se desenvolveram predominantemente no interior do país. Até meados do século XX, cerca de 70% da população brasileira era rural e, por conta disso, os costumes interioranos são reproduzidos mesmo nos grandes centros. O chapéu de palha, a calça e a camisa remendadas fazem alusão ao modo de vestir dos “caipiras” – o termo, desde os tempos coloniais, é usado para designar os moradores da roça.

Por dentro das tradições juninas brasileiras

A mistura das culturas europeias, sobretudo portuguesas, e indígenas deu origem a uma festa bastante particular e com forte caráter regional. Vamos conhecer a origem de alguns dos principais elementos presentes nessa festividade.

Quadrilhas juninas

As danças de quadrilha são danças de salão originárias da França no século XVII. Na época, as danças alegres feitas em pares, com movimentos alegres e descontraídos, se tornou popular em toda a Europa.

história festa junina

Esse costume foi trazido ao Brasil pelos nobres portugueses no século XIX. Com o tempo, a ideia foi sendo adaptada até ser incorporada às festas populares.

A celebração da fogueira

Tanto os pagãos pré-Cristianismo quanto os indígenas brasileiros tinham a fogueira como um símbolo das celebrações. A Igreja Católica também incorporou uma explicação para a sua utilização: segundo a tradição cristã, Santa Isabel teria dito à Virgem Maria que quando São João nascesse acenderia uma fogueira para avisá-la.

Simpatias juninas

A Igreja Católica promove uma programação especial no mês de junho para celebrar os seus santos. Porém, além das novenas e rezas, muitas simpatias são associadas a essa época do ano. Os balões juninos nasceram da ideia de que levam pedidos para São João. Já Santo Antônio é tido como santo casamenteiro.

Comidas típicas

As tradições indígenas foram as que prevaleceram nesse quesito. A comida típica das festas tem como base grãos e raízes que eram cultivados por eles. Destaque para o milho, o amendoim, a batata doce e a mandioca. Porém, os portugueses pegaram essas iguarias e as transformaram em bolos e doces, como o pé-de-moleque, a pipoca e o bolo de fubá.

Fonte(s): Revista Superinteressante, Brasil Escola, Sua Pesquisa, Toda Matéria e Empresa Brasil de Comunicação