Farmácia Maxifarma

O que fazer se um medicamento sumir das farmácias e drogarias?

Recorrer a um remédio substituto, falar com o fabricante ou reavaliar o tratamento: saiba o que fazer se um medicamento sumir das farmácias.

08 de agosto de 2018 - Maxifarma

Você estava acostumado a comprar um remédio para determinado problema de saúde e, de repente, não consegue mais encontrá-lo em lugar nenhum? Essa não é uma situação confortável, por isso é importante saber o que fazer se um medicamento sumir das farmácias e você não puder continuar seu tratamento.

Quando esse problema atinge toda a rede de farmácias e drogarias, isso geralmente acontece porque o fabricante precisou parar de produzir ou de distribuir o medicamento. Existem vários motivos para isso, por exemplo:

  • Problemas na fabricação, como dificuldades para encontrar a matéria-prima;
  • Alterações no processo de fabricação, incluindo adequação a uma exigência sanitária, a substituição de uma máquina e mudanças na embalagem, na cor ou no sabor;<
  • Problemas na logística de distribuição do produto para a sua cidade, impedindo que o medicamento chegue até as farmácias;
  • Cancelamento do registro do medicamento, de forma que o fabricante não pode mais produzi-lo;
  • Razões comerciais que inviabilizam a continuação do produto, como a baixa demanda;
  • Situações emergenciais que impedem o funcionamento da planta industrial.

Mesmo que haja uma justificativa para o medicamento que você precisa estar em falta, esse é um problema que afeta diretamente a sua saúde. Por isso, é importante conhecer o que a Anvisa diz sobre esses casos e o que você pode fazer em relação a isso.

Um medicamento não pode sumir sem aviso prévio

Embora essa seja uma situação complicada, não existe nenhuma lei obrigue um laboratório a manter um produto no mercado. Contudo, antes de tirar o medicamento das prateleiras, os fabricantes devem comunicar o fato à Anvisa dentro de um prazo que varia conforme a situação.

Quando existem produtos alternativos ao medicamento, sejam eles genéricos ou produzidos por outros laboratórios, a interrupção deve ser comunicada com 6 meses de antecedência. Porém, quando não há outras opções disponíveis ou a suspensão vai afetar uma grande parte do mercado, o aviso deve ser feito pelo menos 12 meses antes – período durante o qual o abastecimento deve ser mantido.

Existem ainda situações em que o fornecimento é interrompido por motivos imprevisíveis, como a quebra de uma máquina ou um desastre natural que impeça o funcionamento da planta industrial. Nesses casos, a Anvisa deve ser comunicada em até 72 horas depois do fato que prejudicou a produção do medicamento.

Não encontrei um medicamento, e agora?

Felizmente, a maioria dos medicamentos disponíveis no Brasil conta com alternativas que podem substituí-los, como os similares e os genéricos. Assim, se um fabricante parar de produzir ou distribuir determinado medicamento, na maior parte dos casos existem outros laboratórios que desenvolvem produtos intercambiáveis.

Dessa forma, se você não encontrar um remédio em especial, você pode conversar com o farmacêutico ou o médico para saber se há algum substituto com a mesma apresentação (xarope, comprimido, pomada etc.), o mesmo princípio ativo (a substância responsável pelo efeito) e a mesma dose.

Caso se trate de um medicamento único no mercado, para o qual não existem produtos substitutos, será necessário conversar com o médico para fazer uma reavaliação do tratamento.

Entre em contato com o fabricante

Quando você não consegue encontrar seu medicamento, você pode entrar em contato com o serviço de atendimento ao consumidor (SAC) do fabricante para saber se ele está disponível em alguma farmácia da sua cidade ou se realmente houve algum problema no fornecimento.

Caso a interrupção seja confirmada, verifique se o laboratório fez o comunicado prévio à Anvisa por meio desta lista. Se houver uma suspeita de que o fabricante deixou de produzir o medicamento sem avisar à agência reguladora com antecedência, você pode fazer uma denúncia a esse órgão.

A colaboração dos consumidores é importante porque, a partir disso, a Anvisa pode tomar algumas providências, como acompanhar o caso de perto para controlar o risco de desabastecimento, autorizar a importação para suprir a falta no mercado nacional e dar prioridade para a liberação de outros medicamentos que podem substituir o produto que foi descontinuado.

Não conseguir encontrar o remédio desejado não é uma situação agradável, mas, agora que você sabe o que fazer se um medicamento sumir das farmácias, você está muito mais preparado para resolver esse problema. Em caso de dúvidas, sempre consulte o médico ou o farmacêutico.