Farmácia Maxifarma

Mudanças bruscas na temperatura podem afetar a sua saúde

Fim do verão e início do outono é um momento importante para dar atenção à saúde e evitar doenças características das mudanças climáticas.

12 de março de 2019 - Maxifarma

As mudanças bruscas de temperatura podem afetar a sua saúde de uma maneira muito mais intensa do que você imagina. O fim do verão e início do outono, por exemplo, é um período bastante propício para o aparecimento de doenças causadas pelas variações climáticas.

Por essa razão, moradores de cidades em que as mudanças de temperatura são mais acentuadas, ou seja, especial nas regiões Sul e Sudeste, precisam redobrar a atenção. As crises respiratórias são comuns nessas épocas do ano e podem atacar ainda mais forte em regiões urbanas, em que a poluição do ar costuma ser maior.

Temperaturas mais baixas mexem com o nosso organismo

As crises respiratórias estão entre os problemas mais comuns ocasionados pelas mudanças bruscas de temperatura. Asma, bronquite, enfisema pulmonar e rinite alérgica, por exemplo, são mais propensos de aparecer quando o clima esfria ou a umidade do ar aumenta. Idosos e crianças são ainda mais sensíveis e devem ter atenção redobrada.

Se engana ainda os que acreditam que somente quem já tem um histórico de problemas respiratórios está sujeito a adoecer. Todos nós estamos sujeitos a ser acometidos por algumas dessas doenças. Felizmente, há meios de minimizar os impactos das mudanças de temperatura.

Em dias mais frios, é fundamental se manter bem agasalhado, especialmente nas extremidades do corpo: mãos, pés e cabeça. Para quem sai de casa de manhã e toma um susto com a queda brusca de temperatura no final do dia, a dica é sempre levar um pequeno guarda-chuva e um casaco dentro da mochila.

Sair do ar-condicionado e encarar o frio nas ruas – ou, da mesma forma, sair de uma temperatura controlada e encarar um clima quente e abafado em ambientes externos – também pode ser prejudicial para causar irritações. A troca de temperatura é um dos elementos facilitadores para a propagação dos vírus gripais.

Ambientes fechados e “quentinhos” são igualmente perigosos

Há um mito bastante propagado de que crianças e idosos devem evitar sair às ruas quando está frio, pois podem ser acometidos por vírus como o da gripe. No entanto, é nos ambientes fechados, como casas com portas e janelas fechadas, que ele se propaga com mais facilidade.

Isso significa que é preciso redobrar a atenção também com o ar-condicionado. Ele deve passar por limpezas regulares e, de preferência, não deve ficar ligado o dia todo. Em alguns momentos do dia, é preciso abrir as portas e janelas para que o ambiente seja arejado.

5 dicas para evitar que a mudança de temperatura deixe você doente

Para evitar que as mudanças bruscas de temperatura peguem você desprevenido, listamos abaixo cinco dicas para serem seguidas a partir do momento em que o clima comece a mudar. Seguir esses conselhos certamente fará com que as chances de ser acometido por viroses ou problemas respiratórios diminuam.

1. Beba bastante água

Manter o corpo bem hidratado é um conselho fácil de ser seguido nos dias quentes, mas nos dias frios a necessidade de ingestão de água do nosso corpo também deve ser atendida. Por mais que não sinta sede, carregue sempre uma garrafinha de água e certifique-se de tomar pelo menos 1,5 litro por dia.

2. Faça ajustes na alimentação

As necessidades corporais em dias quentes e frios são diferentes. Quando há queda brusca de temperatura, o ideal é consumir alimentos que aceleram o metabolismo e até mesmo opções um pouco mais calóricas. Isso porque o nosso corpo tende a precisar de mais energia para manter a temperatura corporal. Contudo, equilíbrio é sempre a palavra-chave: não abuse das gorduras.

3. Evite passar muito tempo em locais fechados

Aglomerações de pessoas em locais fechados favorecem a transmissão de doenças pelo ar. Em dias mais frios, a imunidade do corpo ficar mais baixa e a exposição por mais tempo a vírus e bactérias pode resultar em problemas respiratórios. Além disso, ambientes abafados podem causar queda de pressão e sensação de mal-estar.

4. Mantenha a casa arejada

Para fugir do frio, muitas pessoas optam por deixar a casa completamente fechada, o que é um grande problema. Portas e janelas precisam ser abertas para que o ar possa circular, evitando a proliferação de vírus, fungos e bactérias no ambiente. Abra as janelas por pelo menos 1 hora, duas vezes ao dia, nos períodos da manhã e da tarde.

5. Evite a exposição ao choque térmico

A mudança agressiva de temperatura é algo bastante nocivo para o nosso corpo, especialmente para aqueles que têm as vias respiratórias mais sensíveis. Dessa forma, nós recomendamos que você prepare o corpo antes de deixar a sua casa quentinha e encarar o frio da rua. Se agasalhe bem e use luvas, cachecol e touca se for preciso. Não espere sentir frio para colocar mais roupa.

Fonte(s): Zero Hora, Minha Vida, G1, Hipolabor e UOL