Farmácia Maxifarma

Cravos: quais são os tipos, causas e como remover

Entenda por que ele aparece, saiba quando você pode tentar remover os cravos em casa e descubra como fazer isso sem agravar a situação nem machucar sua pele

17 de setembro de 2019 - Nerdweb

Você só queria dar uma olhadinha rápida no espelho para conferir se está tudo bem com a sua aparência e, quando se deu conta, já havia passado um longo tempo tirando cravos do nariz? Essa é uma situação comum na adolescência e que pode permanecer pela vida adulta.

Mas você sabe o que são cravos? Cravos são pontos pretos ou brancos que surgem na pele quando há um entupimento dos poros devido ao acúmulo de sebo e queratina. Assim como as espinhas, eles são um dos sintomas da acne, uma condição caracterizada pela inflamação das glândulas sebáceas e dos folículos pilosos (poros onde nascem os pelos).

Embora sejam mais frequentes na face, especialmente na chamada região T, formada pela testa, pelo nariz e pelo queixo, os cravos podem aparecer em outras áreas do corpo, como ombros, peito e costas.

Tipos de cravos

Existem dois tipos diferentes de cravos: os pretos e os brancos. Os cravos pretos se formam em poros mais largos que estão abertos (não recobertos por pele), de modo que o sebo sofre oxidação ao entrar em contato com o ar. Com isso, o “tampão” que entupiu o poro deixa de ser branco-amarelado e se torna preto. Esses são os cravos mais comuns e mais fáceis de tirar.

Os cravos brancos, por sua vez, formam-se em poros mais estreitos que entopem devido à queratina produzida da pele, impedindo a eliminação do óleo proveniente da glândula sebácea. Dessa forma, o óleo (ou sebo) se acumula dentro do poro, dando origem ao pontinho branco.

Tanto os cravos pretos quanto os cravos brancos são lesões não inflamatórias, enquanto as espinhas surgem devido à presença de bactérias que causam uma inflamação dentro dos poros.

Quais são as causas dos cravos?

Também chamados de comedões, os cravos costumam surgir com mais intensidade na puberdade. Isso acontece devido à elevação natural dos níveis dos hormônios sexuais, que, entre outras funções típicas para essa idade, estimulam a produção de gordura pela pele. 

Contudo, os cravos podem persistir na vida adulta, especialmente na presença destes fatores:

  • Genética: pessoas com pele oleosa produzem mais sebo e, consequentemente, estão mais sujeitas a apresentar cravos;
  • Alterações hormonais: além da puberdade, os cravos podem surgir em situações em que há grandes flutuações hormonais, como em determinadas fases do ciclo menstrual e durante a gravidez;
  • Acúmulo de resíduos: o uso de cosméticos e maquiagem à base de óleo pode levar ao surgimento dos cravos devido ao acúmulo de resíduos na pele, facilitando o entupimento dos poros;
  • Alimentação inadequada: não há comprovação científica de que o consumo de alimentos gordurosos, como chocolate e amendoim, possa levar ao surgimento dos cravos. Contudo, o excesso de açúcar, farinha refinada e produtos lácteos pode piorar o quadro;

Além disso, é importante saber que os cravos não são causados por falta de higiene. Na verdade, o mais comum é que a limpeza excessiva possa agravar a situação por deixar a pele mais irritada e causar efeito rebote na produção de óleo.

Como remover cravos do jeito certo

Se você costuma ficar tirando cravos em qualquer lugar, saiba que esse hábito pode piorar a situação por machucar a pele e favorecer o surgimento de cicatrizes. Além disso, as bactérias presentes nas mãos podem causar uma inflamação do folículo e fazer com que o cravo se transforme em uma espinha.

Também é importante saber que os cravos brancos são muito parecidos com a milia (plural de milium), pequenas bolinhas brancas formadas por queratina e que não são sintoma de acne. 

A milia não pode ser removida por conta própria, pois isso pode causar feridas, cicatrizes e infecções mais graves. Dessa forma, não é recomendado espremer cravos brancos, já que eles são facilmente confundidos com essa condição.

Já no caso dos cravos pretos, é possível removê-los em casa quando eles estão pequenas quantidades. Confira os cuidados que você deve tomar para fazer isso da forma correta:

  • Lave as mãos e o rosto: antes de tentar extrair um cravo, lave muito bem as mãos e o rosto com água e sabonete neutro para eliminar as bactérias que podem causar espinhas;
  • Faça uma esfoliação: aplique um esfoliante suave (de grãos finos) na região para remover as impurezas e células mortas;
  • Aplique uma máscara removedora de cravos: esses produtos abrem os poros, suavizam a pele e absorvem o excesso de sebo, facilitando a retirada dos cravos sem causar lesões. Escolha máscaras que contenham ingredientes como argila branca, verde ou preta, chá verde, melaleuca (tea tree), ácido salicílico e zinco;
  • Evite utilizar truques caseiros: apesar de serem acessíveis, muitas dicas caseiras podem prejudicar ainda mais a sua pele. Evite as “receitinhas milagrosas” e opte por uma máscara removedora de cravos de boa qualidade;
  • Utilize uma gaze e não exagere na força: envolva os dedos em uma gaze limpa e faça uma leve pressão ao redor do cravo. Se ele não sair prontamente, o melhor é não insistir, pois espremer os cravos pode machucar a pele;
  • Ajude sua pele a se recuperar: depois de remover os cravos, lave a pele novamente e aplique água termal e um hidrante com propriedades calmantes e cicatrizantes, como os produtos à base de aloe vera e camomila. Fique longe do sol.

Lembre-se de que essas dicas se aplicam a peles com poucos cravos. Se a sua pele for extremamente oleosa ou você apresentar espinhas inflamadas, a melhor opção é consultar um dermatologista.

Nesse caso, o médico poderá prescrever máscaras removedoras de cravos específicas para a sua pele, produtos à base de ácido salicílico, peróxido de benzoíla ou retinoides e, se necessário, medicamentos por via oral.

***

Os produtos que você precisa para cuidar da sua pele você encontra na Maxifarma. Acesse o nosso site e encontre a loja mais próxima a você!

Fonte(s): Tua Saúde, Gazeta do Povo, Uol, Minuto Saudável e SBD [1] e [2]