Farmácia Maxifarma

9 estratégias de como aumentar a autoestima

Às vezes não é fácil manter uma boa relação consigo mesmo, mas estas dicas de como aumentar a autoestima vão te ajudar a manter a cabeça erguida.

26 de fevereiro de 2018 - Maxifarma

Todos nós já passamos por situações em que olhamos no espelho e não conseguimos mais encontrar aquele sorriso ou a motivação para seguir adiante. Felizmente, é possível recorrer a algumas estratégias de como aumentar a autoestima para superar obstáculos e recuperar a confiança em nós mesmos.

Afinal, o que é a autoestima?

A autoestima, como o próprio nome diz, é a característica das pessoas que se estimam, que se valorizam, que estão felizes consigo mesmas e que conseguem transmitir isso aos outros e ao mundo ao seu redor. É uma qualidade de pessoas satisfeitas com sua aparência física, com seu modo de pensar e agir, que expressam inteira confiança em suas atitudes e opiniões.

Alguns sinais de que sua autoestima pode estar baixa

Muitas situações podem desencadear processos que resultem na baixa autoestima: perdas materiais e pessoais, sentimento de culpa, fracasso profissional, humilhações, desvalorizações de maneira geral. Todas essas sensações fazem com que a pessoa construa uma percepção negativa sobre si, principalmente frente ao outro.

Dessa forma, podemos dizer que a baixa autoestima é a posição de inferioridade em que o indivíduo se coloca em virtude de ter perdido algo ou sentir que algo lhe falta quando se compara às demais pessoas de seu convívio.

Dicas preciosas de como aumentar a autoestima

Seja a perda do emprego ou o fim de um relacionamento, respire fundo, coloque na cabeça que essa situação é temporária e conheça as principais dicas sobre o que fazer quando a vida tem uma reviravolta e nos deixa no fundo do poço:

1. Foque no que é positivo sobre você

Insatisfações com nosso peso, altura ou com alguns aspectos específicos de nossa aparência são muito normais. Porém, o que não podemos fazer é alimentar pensamentos negativos acerca de nossos corpos.

Em vez disso, busque as suas qualidades ímpares e dê destaque aos seus “pontos fortes”, enfatizando para si mesmo esses diferenciais.

2. Deixe frases motivacionais à vista

Você até consegue identificar seus pontos positivos, mas acha difícil se lembrar deles nos momentos de crise?

Então você pode escrever bilhetinhos para você mesmo com seus pontos fortes (“Eu sou uma pessoa determinada”, “Tenho forças de sobra para enfrentar qualquer problema” etc.) e colá-los em seu computador, na carteira ou no espelho do banheiro. Quando encontrá-los, leia-os em voz alta para reafirmar a você mesmo tudo o que você tem de bom.

3. Anote suas conquistas em um diário

Quando nossa autoestima está baixa, a tendência é focar nas coisas que deram errado e deixar de lado aquilo que fizemos de bom. Por isso, mantenha um diário – no celular ou em papel – com todas as suas conquistas.

Anote os elogios e agradecimentos que você receber, as ações que te deixaram feliz ou orgulhoso de si mesmo (tirar 10 minutos do seu dia para ligar para a sua avó, trocar a coxinha por uma fruta etc.) e os pensamentos positivos que você tiver sobre você mesmo. Nos momentos de crise, releia tudo o que você escreveu.

4. Importe-se mais com você do que com os outros

A partir do momento em que você começa a viver a sua própria vida em detrimento da vida dos outros, passa a entender como o tempo que você passa com você mesmo é importante e precioso.

Igualmente, a aceitação das suas limitações e a compreensão de suas qualidades passam a ser armas poderosas para combater os mecanismos que desencadeiam os pensamentos negativos. Acredite: todo mundo ao seu redor está passando por alguma dificuldade, então não fique preso à ideia de que você é um fracasso em relação aos demais.

5. Cuide da sua saúde

Comprovadamente, a prática de atividades físicas não somente traz benefícios à saúde, como também fortalece o sistema imunológico e estimula nossa psique a reagir contra os males da alma.

Exercícios, dança e caminhadas ajudam a reduzir a ansiedade, tiram o foco daquilo que alimenta a tristeza, ampliam o convívio social e abrem portas para novas oportunidades de valorização de si mesmo.

Ter uma alimentação saudável também é essencial para cultivar seu amor-próprio. Além de garantir os nutrientes de que você precisa para se sentir disposto e encarar as demandas do dia a dia, essa é uma forma se mostrar a você mesmo que você se preocupa com o seu bem-estar.

6. Cuide do seu visual

Faça um esforço para cuidar da sua apresentação visual, escolhendo roupas que te deixem confortável e ao mesmo tempo elegante.

Além disso, dedique um tempo para cuidar dos cabelos, unhas e pele. Essa prática promove pequenas doses diárias de confiança e, ao olhar no espelho, você vai perceber como é capaz de dar a volta por cima depois de uma decepção.

7. Desapegue daquilo que não acrescenta

Abandonar hábitos, pessoas e pensamentos nocivos deve fazer parte da rotina de quem busca restabelecer sua autoestima. Portanto, as palavras de ordem são sair da zona de conforto e desapegar.

Elimine da sua vida tudo aquilo que é desnecessário, que está sugando a sua energia e te colocando para baixo. Pode ser difícil deixar para trás determinados comportamentos, mas, no fim desse processo, você conseguirá enxergar que eles eram apenas fontes de sofrimento.

8. Acredite na mudança

A autoestima é um traço de personalidade que é desenvolvido durante a infância e a adolescência. Entretanto, pode ser reconstruída em qualquer outra fase da vida da pessoa por meio das suas próprias escolhas ou com ajuda profissional.

Como a autoestima é basicamente uma mudança de comportamento, o indivíduo precisa estar disposto, ter disciplina para acatar esse novo olhar sobre si mesmo e colocar em prática as ações para transformar pensamentos e atitudes que vão moldar sua nova visão acerca do mundo. Confie no seu poder realizador e inicie pequenos gestos de mudança diariamente.

9. Procure ajuda profissional

Muitas vezes, as pessoas não conseguem promover sozinhas as mudanças comportamentais necessárias para realmente reconquistar a autoestima. Seja por já terem tentado por conta própria ou porque as causas do problema se acumularam de alguma forma, a ajuda profissional será definitivamente o melhor caminho a seguir.

Fazer um aconselhamento com um terapeuta cognitivo em como aumentar a autoestima é uma das soluções para identificar e tratar as causas do problema, bem como para ajudar nas ações necessárias para promover o autoconhecimento, o equilíbrio emocional e o resgate da qualidade de vida. Jamais desista de você mesmo.

Fonte(s): Tua Saúde, Vix e Inpa